Mediunidade olfativa e auditiva – sintomas

A Mediunidade olfativa e auditiva tem sintomas muito interessantes, podendo gerar experiências incríveis para os médiuns que as possuem, permitindo que o médium possa ouvir a voz dos espíritos e até mesmo sentir cheiros de origem espiritual.

Você já ouviu vozes estranhas de origem desconhecida? Já sentiu cheiros de origem misteriosa enquanto estava sozinho em um ambiente? Esses são sintomas comuns de médiuns audientes e olfativos.  Se você quer saber mais sobre o assunto, continue lendo este artigo!

A mediunidade olfativa e seus sintomas

mediunidade olfativa sintomas

A mediunidade olfativa é um tipo mediúnico incrível e permite que o médium possa interpretar a realidade espiritual à sua volta através de cheiros. Sim, isso mesmo!

O médium pode sentir as energias de espíritos, pessoas e ambientes através de cheiros. Incrível, né?

Neste tipo de mediunidade é muito comum que as pessoas sintam cheiros podres e fétidos quando se encontram em ambientes negativos ou quando estão próximos de entidades de vibração mais densa. Além disso, na presença de espíritos elevados, o médium pode sentir cheiros agradáveis, como perfumes e outros cheiros característicos de boa vibração.

Com a mediunidade olfativa o médium sente odores em situações onde não há uma explicação material. Assim, o médium pode até mesmo sentir perfumes de pessoas falecidas em ambientes vazios e ter a sensação de que o odor é real. 

Nestes casos, o odor não é necessariamente físico mas sim uma impressão psíquica altamente realista percebida pelos órgãos “espirituais” da pessoa,  que sente cheiros que representam a realidade espiritual do médium na forma de alucinações do sistema olfativo.

Em alguns casos especiais, como na mediunidade de efeitos físicos, os espíritos podem gerar odores “materiais” com o ectoplasma do médium, permitindo que pessoas sem este tipo de mediunidade consigam sentir  estes cheiros. Isso é bastante comum em sessões de materialização.

Leia também:  Como ativar a glândula pineal - Aprenda agora!

A mediunidade olfativa permite que os médiuns possam se guiar através dos cheiros e identificar a qualidade da energia de espíritos desencarnados, ambientes e pessoas vivas, servindo como uma poderosa ferramenta de informação para auxiliar a vida do médium. Legal, né?

Os problemas da mediunidade olfativa

mediunidade olfativa

O maior problema que a mediunidade olfativa pode proporcionar ao médium é a dificuldade de diferenciar os odores espirituais dos odores físicos.

Assim, a pessoa pode ser levada cometer equívocos, entrando em situações desconfortáveis quando ocorre esse tipo de confusão.

Além disso,  um médium olfativo sofre com a inconveniência de nem sempre sentir odores agradáveis. Por isso, é de extrema importância que a pessoa tenha bastante cuidado com a sua vibração e sintonia espiritual, evitando a atração de entidades densas que podem causar odores desagradáveis e outros tipos de problemas.

A mediunidade auditiva e seus sintomas

mediunidade auditiva sintomas

O principal sintoma da mediunidade auditiva é a capacidade do médium de ouvir sons de origem espiritual. Nestes casos, o médium pode ouvir uma ampla variedade de sons que podem parecer reais para ele mas que na verdade tem origem espiritual, não sendo causados por situações comuns do mundo material.

Neste tipo de mediunidade é comum que a pessoa ouça diversos tipos de ruídos, incluindo vozes de espíritos desencarnados, sons de pássaros, latidos, miados, batidas e muito mais. Ou seja, um médium audiente é capaz de literalmente ouvir a realidade espiritual e, muitas vezes, pode confundir esses sons com ruídos externos, dado o grande realismo desse fenômeno.

Um médium audiente tem a capacidade de ouvir não com seu sistema auditivo físico, mas sim com seus “órgãos auditivos psíquicos”, podendo estar atento à toda uma ampla variedade de vibrações do mundo espiritual. Essa habilidade permite que o médium interprete a realidade espiritual do ambiente à sua volta de uma maneira auditiva.

Leia também:  Mediunidade intuitiva: Sintomas e características

Com isso, o médium poderá identificar até mesmo a qualidade da energia de pessoas e ambientes através dos tipos de sons que ouve. Incrível né? Além disso, o médium pode cuidar melhor de sua própria evolução espiritual conforme se guia pelos sons que ouve, podendo discernir sobre a qualidade dos sons e comparar com suas emoções e pensamentos.

Os riscos da mediunidade auditiva

mediunidade auditiva

Um dos maiores problemas que os portadores da mediunidade auditiva podem enfrentar é a incapacidade de diferenciar os sons de origem espiritual dos sons de origem física.

Nestes casos, a pessoa pode passar por situações constrangedoras ao confundir as vozes e sons espirituais, atribuindo causas externas à elas.

O médium precisa manter sua mediunidade bem equilibrada para minimizar seus riscos. Afinal, ouvir sons espirituais a todo momento poderia levar o médium à loucura. Por isso, na maioria dos casos, os guias espirituais atuam sobre os centros de energia do médium para interromper os sons e só permitir que os ruídos necessários sejam ouvidos.

Por isso, é importante que um médium audiente mantenha sua mediunidade equilibrada e cuide sempre da sua vibração e trabalhe para possuir um bom controle sobre sua espiritualidade.

Estando equilibradas, tanto a mediunidade auditiva como a olfativa tem uma grande capacidade de trazer inúmeros benefícios para o médium, facilitando bastante sua comunicação com os espíritos e sua evolução espiritual.

Por isso, se você suspeita que é médium, é recomendado que você faça um trabalho para equilibrar e desenvolver sua mediunidade sozinho ou em um centro de sua confiança.


Gostou do artigo? Então COMPARTILHE!!


Relacionamento na prática


RECOMENDADO PARA VOCÊ:

Deixe uma resposta